Química e Tecnologia dos Poliuretanos
http://www.poliuretanos.com.br/

Reagentes Espumas flexíveis PU's moldados Adesivos & Selantes Elastômeros Propriedades
Aditivos Espuma rígidas Calçados Tintas & Revestimento Encapsulamento

Anexos


Capítulo 1 - Fundamentos & Matérias-Primas - I Reagentes

1.1     Mercado
1.1.1 América Latina e Brasil
1.2     Isocianatos
1.2.1 Reações dos isocianatos
1.2.2 Reatividade dos isocianatos
1.2.3   Isocianatos comerciais
1.2.3.1 Tolueno diisocianato (TDI)
1.2.3.2 Difenilmetano diisocianato (MDI)
1.2.3.3 Isocianatos alifáticos
1.2.3.4 Isocianatos modificados
1.2.3.5 Isocianatos bloqueados
1.2.3.6 Prepolímeros
1.3     Polióis
1.3.1     Polipropilenosglicóis (PPG’s)
1.3.1.1 Processo & propriedades
1.3.1.2 Copolímeros com óxido de etileno (EO)

1.3.1.3 Polióis cataliticamente ativos
1.3.1.4 PPG's com baixo teor de monol
1.3.1.5 Polióis poliméricos
1.3.2    Polióis poliésteres
1.3.2.1 Polióis poliésteres alifáticos
1.3.2.2 Policaprolactonas dióis
1.3.2.3 Policarbonatos dióis
1.3.2.4 Polióis poliésteres aromáticos
1.3.3   Poli(oxitetrametileno) glicol
1.3.4   Polióis de óleos naturais (NOPs) e outras fontes renováveis
1.3.4.1 Óleo de mamona

1.3.4.1.1 Transesterificação do óleo de mamona
1.3.4.1.2 Polieteróis do óleo de mamona
1.3.4.2 Polióis obtidos de óleos vegetais poliinsaturados
1.3.4.3 Poli(trimetileno éter) glicol
1.3.5   Polibutadieno líquido hidroxilado
1.3.6   Polióis acrílicos
1.3.7   Polióis base CO2
1.4     Poliaminas
1.5     Extensores de cadeia
1.5.1 Extensores de cadeia hidroxilados
1.5.2 Diaminas usadas como extensores de cadeia
1.6   Correlações estrutura e propriedades
1.6.1    Poliuretanos segmentados


Capítulo 2 - Fundamentos & Matérias-Primas - II Aditivos
2.1 Catalisadores
2.1.1 Aminas terciárias
2.1.2 Organometais
2.2 Inibidores
2.3 Agentes de expansão
2.3.1 Espumas flexíveis
2.3.2 Espumas rígidas
2.4 Surfactantes
2.4.1 Escolha do surfactante de silicone
2.4.2 Mecanismo de ação dos surfactantes
2.5 Cargas
2.6 Retardantes de chama

2.7 Agentes antienvelhecimento
2.8 Corantes e pigmentos
2.9 Desmoldantes

2.10 Agentes de reticulação
2.11 Promotores de adesão
2.12 Agentes de acoplamento
2.13 Secantes
2.14 Promotores de tixotropia
2.15 Plastificantes
2.26 Agentes antiestática
2.17 Abridores de células
2.18 Lubrificantes
2.19 Estabilizadores de hidrólise
2.20 Bactericidas


Capítulo 3 - Espumas Flexíveis
3.1 Introdução
3.2 Matérias-primas
3.2.1 Polióis
3.2.2 Isocianatos
3.2.3 Catalisadores
3.2.4 Surfactantes
3.2.5 Agentes de expansão
3.3 Química e físico química
3.3.1 Reações químicas
3.3.2 Espumas flexíveis convencionais
3.3.3 Espumas flexíveis de alta resiliência
3.3.4 Medidas da reatividade
3.4 Fabricação das espumas em bloco
3.4.1 Processos descontínuos
3.4.1.1 Processo convencional (caixote)
3.4.1.2 Processo com variação da pressão
3.4.2 Processos contínuos de fabricação das espumas flexíveis
3.4.2.1 Armazenagem, medição e mistura dos componentes

3.4.2.2 Fabricação dos blocos pelos processos convencionais
3.4.2.2.1 Processo Hennecke / Planiblock
3.4.2.2.2 Processo Draka / Petzetakis
3.4.2.3 Processo Maxfoam
3.4.2.4 Processo contínuo vertical (Vertifoam)
3.4.2.5 Processo Ultima
3.4.2.6 Adição de dióxido de carbono líquido
3.4.2.7 Espumação com pressão variável (VPF)
3.4.3 Acabamento e reciclagem
3.5 Tipos de espumas flexíveis em bloco
3.6 Controle das propriedades
3.6.1 Dureza e densidade
3.6.2 Tamanho das células
3.6.3 Resiliência e viscoelasticidade
3.6.4 Propriedades de tensão
3.6.5 Deformação permanente
3.6.6 Fadiga dinâmica
3.6.7 Efeito das condições atmosféricas
3.6.8 Resistência ao fogo
3.6.9 Propriedades acústicas
3.6.10 Antiestática
3.7 Problemas na fabricação dos blocos
3.7.1 Células fechadas
3.7.2 Rachos ou Fendas
3.7.3 Queima do bloco
3.8 Base de carpete

3.9 Espumas laminadas têxteis


Capítulo 4 - Poliuretanos Moldados

4.1 Introdução
4.2    Processos de fabricação
4.2.1 Equipamentos de baixa pressão
4.2.2  Moldagem por injeção e reação (RIM)
4.2.2.1 Tecnologia de produção
4.2.3 Revestimento de moldes com filmes & tecidos
4.2.4 Espumação com CO2
4.2.5 Espumação sob vácuo
4.2.6 Moldagem com cargas abrasivas
4.3     Espumas flexíveis moldadas
4.3.1 Linhas de moldagem de espumas
4.3.2 Espumas flexíveis moldadas a quente
4.3.2.1 Matérias-primas
4.3.2.1 Processo
4.3.3 Espumas flexíveis moldadas a frio
4.3.3.1 Matérias-primas
4.3.3.2 Processo
4.3.4 Estabilidade da espuma
4.3.5 Moldes
4.4 Espumas semiflexíveis
4.5 Espumas semi-rígidas
4.6 Espumas com pele integral
4.6.1 Matérias-primas
4.6.2 Processo
4.7 Poliuretanos flexíveis integrais
4.7.1 Matérias-primas
4.7.2 Propriedades
4.8 Calçados
4.8.1 Propriedades
4.8.2 Processo
4.8.2.1 Efeito das condições de processo nas propriedades
4.9 Outros PU’s microcelulares e sólidos
4.10 Sistemas de poliuréias
4.11 Espumas rígidas integrais

4.11.1 Matérias primas
4.11.2 Processo RIM
4.11.3 Moldes
4.11.4 Acabamento
4.11.4.1 Coloração & Pintura
4.11.5 Propriedades



Capítulo 5 - Espumas Rígidas
5.1 Introdução
5.2 Matérias-primas
5.2.1 Espumas rígidas de poliuretano (PUR)
5.2.2 Espumas de polisocianurato (PIR)
5.2.3 Agentes de expansão auxiliares (AEAs)
5.2.4 Catalisadores
5.2.5 Surfactantes
5.3 Formação da espuma
5.3.1 Mistura, nucleação e formação das células
5.3.2 Reações químicas
5.3.3 Expansão da espuma
5.4 Propriedades
5.4.1 Propriedades mecânicas
5.4.2 Estabilidade térmica dimensional
5.4.3 Condutividade térmica
5.4.4 Inflamabilidade
5.4.5 Espumas com células abertas
5.5 Processos de fabricação/aplicação
5.5.1 Fabricação de blocos
5.5.2 Fabricação de painéis
5.5.2.1 Processos contínuos
5.5.2.2 Processos descontínuos
5.5.2.3 Processo de injeção por pressão
5.5.2.4 Processo de injeção sob vácuo
5.5.2.5 Formulações típicas
5.5.3 Isolamento térmico de eletrodomésticos
5.5.3.1 Formulações e propriedades
5.5.3.2 Processos de fabricação
5.5.4 Isolamento térmico de dutos

5.5.5 Fabricação de espumas rígidas por spray
5.5.6 Sistemas pressurizados
5.5.7 Sistemas de um componente (OCF’s)
5.5.8 Espumas rígidas integrais


Capítulo 6 - Elastômeros de Poliuretano

6.1 Introdução
6.2 Química dos elastômeros de PU
6.3 Matérias-primas
6.3.1 Isocianatos
6.3.2 Polióis
6.3.3 Agentes de cura
6.4 Elastômeros moldados por vazamento
6.4.1 Processo em uma etapa
6.4.2 Processo prepolímero
6.4.3 Processamento e aplicações
6.4.4 Propriedades
6.5 Elastômeros termoplásticos (TPU's)
6.5.1 Matérias primas
6.5.2 Propriedades
6.5.3 Fabricação
65.4 Injeção & extrusão
6.5.5 Aplicações
6.5.6 Misturas poliméricas
6.6 Moagem & vulcanização


Capítulo 7 - Outras Aplicações dos PUs

7.1 Adesivos
7.3.1 Química e físico-química
7.1.2 Adesivos líquidos 100% sólidos
7.1.2.1 Adesivos de dois componentes
7.1.2.2 Adesivos monocomponente
7.1.3 Adesivos dispersos em água
7.1.4 Adesivos com solvente
7.1.5 Adesivos termofundíveis (hot melt)
7.1.5.1 Adesivos termofundíveis reativos de PU
7.1.6 Aglomerantes
7.1.6.1 Aglomeração da madeira
7.1.6.2 Aglomeração de borracha

7.1.6.3 Aglomeração de areia de fundição
7.1.6.4 Propelente sólido para foguetes
7.2 Selantes & Encapsulantes
7.2.1 Sistemas de dois componentes
7.2.2 Sistemas mono-componente
7.2.2.1 Poliuretanos silanizados
7.2.3 Fabricação "in situ" de gaxetas celulares
7.2.4 Encapsulantes
7.3 Tintas e Revestimentos
7.3.1 Matérias-primas
7.3.2 Sistemas base solvente
7.3.2.1 Sistemas de dois componentes reativos (2K-PUR)
7.3.2.2 Revestimentos de um componente

7.3.2.2.1 Cura com a umidade do ar
7.3.2.2.2 Sistemas bloqueados
7.3.2.2.3 Secagem ao ar
7.3.2.2.4 Cura com radiação UV ou feixe de elétrons
7.3.3 Revestimentos em pó
7.3.4 Dispersões aquosas de PU (PUDs)
7.3.4.1 PUDs de um componente (1K-PUD)
7.3.4.1.1 PUDs / resinas acrílicas (PUD-ACR)
7.3.4.2 PUDs de dois componentes (2K-PUD)

7.3.5 Revestimentos por “RIM-spray”
7.3.5.1 Revestimentos de poliuréia
7.3.6 Revestimento de tecido, papel e couro
7.4 Fibras
7.5 PIGs


Capítulo 8 - Propriedades que Caracterizam os PUs

8.1     Propriedades físicas dos PU’s
8.1.1    Condicionamento do material
8.1.2    Propriedades mecânicas
8.1.2.1 Propriedades elásticas
8.1.2.2 Resistência ao rasgo
8.1.2.3 Resiliência
8.1.2.4 Resistência à compressão
8.1.2.5 Compressão & endentação
8.1.2.6 Dureza
8.1.2.7 Resistência à fricção
8.1.2.8 Resistência ao cisalhamento
8.1.2.9 Resistência à flexão

8.1.2.10 Módulos de elasticidade
8.1.2.11  Testes de impacto
8.1.3 Testes de avaliação da durabilidade
8.1.3.1 Testes de escoamento (creep)
8.1.3.2 Deformação permanente
8.1.3.3 Resistência à fadiga
8.1.3.4 Resistência à abrasão
8.1.3.5 Desenvolvimento de calor
8.1.4 Propriedades dos materiais celulares
8.1.4.1 Densidade aparente
8.1.4.2    Determinação da estrutura celular
8.1.4.3 Células abertas e fechadas
8.1.4.4 Determinação da passagem de ar
8.1.5 Propriedades térmicas
8.1.5.1 Expansão térmica
8.1.5.2 Condutividade térmica
8.1.5.3 Estabilidade térmica dimensional
8.1.5.4 Ensaio de arqueamento ao calor
8.1.5.5 Fusão cristalina e transição vítrea
8.1.5.6 Efeito da temperatura nas propriedades dos PU's
8.2 Propriedades químicas e físico-químicas
8.2.1 Testes de envelhecimento acelerado
8.2.2    Permeabilidade ao vapor d’água
8.2.3    Estabilidade a gases líquidos e sólidos


Anexo 1 - Reciclagem

Anexo 2 - Segurança e saúde

Anexo 3 - Bibliografia